Nossa Responsabilidade Por Uma Sociedade Justa e Fraterna

Inicio esta reflexão enaltecendo, com a intenção de compartilhar e difundir, as maravilhosas lições do primoroso Emmanuel, sobre a mulher e seu imprescindível papel na evolução humana. Sobretudo, destacando os ensinamentos do Mestre Jesus, em sua divina missão; o que pode ser devidamente compreendido à luz da razão, como também da própria ciência da psicologia e da sociologia, em todos os tempos.  Eis então um exemplo de justiça, amor e verdade, enobrecendo a mulher:

“… Com Jesus, começou o legítimo feminismo. Não aquele que enche as mãos de suas expositoras com estandartes coloridos das ideologias políticas do mundo, mas que lhes traça nos corações diretrizes superiores e santificantes.

Nos ambientes mais rigoristas em matéria de fé religiosa, quais o do Judaísmo, antes do Mestre, a mulher não passava de mercadoria condenada ao cativeiro. Vultos eminentes, quais Davi e Salomão, não conseguiram fugir aos abusos de sua época, nesse particular. O Evangelho, porém, inaugura nova era para as esperanças femininas. Desde Jesus, observamos crescente respeito na Terra pela missão feminil. …”

(Texto extraído e adaptado do livro “Pão Nosso”, c. 93 – Emmanuel/Chico Xavier).

Então, para entender bem a magnitude das exemplares lições do Divino Mestre, basta nos atermos aos episódios evangélicos, bem compreendidos, exaltando o relevante papel das mulheres para a história da humanidade; como a conversão de Madalena, a dedicação das irmãs de Lázaro, a abnegação das ‘senhoras de Jerusalém’ acompanhando Jesus, além, entre outros, da exaltação à Maria, mãe de Jesus…

E, apesar de todos os ensinamentos do divino Mestre, há dois mil anos, e posteriormente, dos esclarecimentos dos Espíritos Sábios, a partir de meados do Século XIX com o advento do Espiritismo, que restabeleceu o cristianismo primitivo, desvirtuado e ignorado por muitos: a humanidade continua arraigada ao egoísmo do passado, pelo atraso moral-espiritual que ainda perdura em nossa sociedade, de um modo geral, infelizmente, não acompanhando o desenvolvimento tecnológico e intelectual já alcançado. O que denota as desigualdades sociais, as discórdias e a violência que predominam em nosso mundo.

Por isso, os procedimentos e costumes errôneos que evidenciam a denominada cultura machista, que tantas injustiças causaram ao longo do tempo, e ainda causam, provocando todos esses males que hoje observamos, disfarçados ou não, sobretudo contra as mulheres e também contra as minorias de todos os matizes, de que muito temos notícias. E o que mais causa indignação e choca a alma sensível e consciente, é a violência inconcebível e aviltante que ainda ocorre em nosso ambiente social, em pleno Século XXI.

Urge, então, conscientes de que todos esses males precisam ser finalmente erradicados, buscarmos por todos os meios possíveis ao nosso alcance, uma sociedade justa, fraterna, igualitária e humanitária, tal como preconizou o Divino mestre; começando por fazer a nossa parte, estudando e refletindo para o nosso aprimoramento; divulgando amplamente essas ideias, para nossa responsável conscientização, a exemplo da grande exortação do Espírito Sânzio:

“Quanto mais amplitude em nossos conhecimentos, mais responsabilidade em nossas ações.”

(Do livro “Ação e Reação”, c. 07 – André Luiz / Chico Xavier)

 

 Devaldo Teixeira de Araújo.

https://blogdoteixeira.com/devaldo@hotlink.com.br  – https://www.facebook.com/profile.php?id=100009560480260

Anúncios