A Vida é um Processo de Renovação e Aperfeiçoamento

Sob o título inicial como tema, reflito sobre a nossa existência terrestre e sua importante significação para o nosso espírito imortal, com convicção desta realidade e, por isso, sabendo que a nossa experiência reencarnatória representa apenas um capítulo da verdadeira vida, eterna, em nossa individualidade espiritual permanecente. Eis como devemos entender a problemática existencial, tal como uma escola para o imprescindível aprendizado, com as provações e expiações, e as imprescindíveis renovações, ante o nosso incipiente estado evolutivo rumo ao desejável aperfeiçoamento moral-espiritual ao nosso alcance e a que todos culminaremos um dia.

Para isso, precisamos estar atentos e reflexivos, observando e espelhando-nos com a própria natureza divina em seus esplendorosos exemplos: a flora originando-se de uma pequena e aparentemente insignificante semente deixada ao solo, crescendo e se desenvolvendo milímetro a milímetro, palmo a palmo, tornando-se arbustos e grandes árvores, até formar imensas florestas, algumas, fornecendo aos animais e aos seres humanos o precioso alimento. A fauna, por sua vez, nasce e desenvolve-se igualmente pelos processos naturais, tal qual o homem, e parte dela, como os animais comestíveis, de grande utilidade para toda a humanidade, de todas as formas de que temos amplo conhecimento e, inclusive, com muitos desses seres animais, vivenciamos e interagimos como leais e úteis companhias, alguns até considerados de grande importância no apoio e estímulo à terapêutica psicossomática, como reconhece a psicologia humana.

Da mesma maneira, podemos perceber as riquezas minerais em sua plena exuberância, de todas as formas, a exemplo dos rios e lagos, que se originam de uma simples nascente em seus pequenos filetes de água, depois riachos, afluentes e constituindo grandes rios, transformando-se e transformando as margens por onde passa, transbordando e mudando paisagens, formando grandiosas bacias hidrográficas, até desembocar no imenso oceano. Sem considerar, neste aspecto, as interferências humanas tantas vezes prejudiciais e desastrosas, em prejuízo do meio ambiente e, por extensão, de todos nós, como infelizmente muito temos visto. Outro extraordinário exemplo nesse campo, nesse mesmo contexto, e até por analogia conosco, são as pedras preciosas, que tem suas origens encravadas no solo bruto e que, depois de buriladas e cuidadosamente polidas, transformam-se em exuberantes peças individuais de imenso valor, para vislumbre de nossa visão.

E tudo obedece a uma natural e extraordinária simplicidade, em sua natureza sequencial e gradual, sem deixar de ser grandioso e belo, como o desabrochar de uma flor, a germinação de uma planta floral e sua reprodução assistida com a ajuda dos insetos e pássaros, em perfeita interação… A maravilhosa estrutura da sociedade das abelhas em sua organização, cooperação mútua, trabalho coletivo, clara divisão de tarefas específicas e suas funções sociais como a rainha, o zangão e as operárias, em perfeita harmonia do trabalho conjunto; tal como, igualmente, a colônia das formigas em seu formigueiro. E tantas outras sociedades de variadas espécies de animais e insetos, todas em perfeita interação em cumprimento às soberanas Leis da Natureza Divina.

Como também observamos os fenômenos que acontecem na Natureza em função das mudanças das estações do ano, originadas pelo movimento de translação do planeta, caracterizando cada uma delas e em que se processam, continuamente, as renovações, tal como podemos ver e sentir. Inclusive, em relação aos próprios processos do que chamamos de destruição, como os flagelos naturais; encontramos os seguintes esclarecimentos dados pelos Espíritos Superiores à indagação perquiridora de Allan Kardec: É lei da Natureza a destruição? – “Preciso é que tudo se destrua para renascer e se regenerar. Porque, o que chamais destruição não passa de uma transformação, que tem por fim a renovação e melhoria dos seres vivos.” (Livro dos Espíritos, Cap. VI, Pergunta 728).

Portanto, faz-se necessário estarmos atentos a tudo isso e conscientes dessa realidade, para o nosso próprio aperfeiçoamento moral-espiritual, tal como nos asseverou Emmanuel: “… Ninguém progride sem renovar-se.” ( do livro “Fonte Viva”, c. 50/Chico Xavier).

Devaldo Teixeira de Araújo.

https://blogdoteixeira.com/devaldo@hotlink.com.br

[Autorizada a divulgação desde que respeitadas a integridade e autoria do texto]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s