A Força da Prece e seu Inestimável Poder

Lendo e estudando as educativas obras espíritas e por excelência as elucidativas lições do primoroso Emmanuel, reflito, como indica o próprio título, sobre a importância de nossas atitudes em relação à prática da meditação e da prece, para o nosso equilíbrio mental e espiritual, essencial para a harmonia própria e, por conseguinte, do ambiente onde vivemos, assim como de todos com quem interagimos, seja no círculo familiar, de trabalho ou social em geral. Por sabermos que sempre irradiamos em torno de nós as energias magnéticas que nos caracterizam, de acordo com o nosso modo de pensar, para o que, precisamos estar bem harmonizados. Para tanto, necessitamos dos momentos de preces, quando nos sintonizamos com a dimensão superior e, pelo magnetismo que se instala nesses instantes, nos beneficiamos com os fluidos emanados do Alto, afastando as energias negativas e sobrepondo as positivas. É desse modo que, muitas vezes, nos sentimos aliviados, libertos das pressões psíquicas, pela regeneração da saúde mental, psicossomática e até mesmo fisiológica, dependendo das condições de comprometimento orgânico em sua estrutura e origem, e também, claro, do sentimento de fé verdadeira e da força de vontade aplicadas, daquele que medita e ora em preces.

Inclusive, vemos pessoas simples demonstrarem equilíbrio, tranqüilidade e alegria de viver, por sua religiosidade e fé, enquanto muitos outros, envolvidos com o orgulho e a presunção, vivem de modo contrário, desequilibrados e sobrecarregados de problemas e dores de toda natureza, por falta de fé e de religiosidade. Não por acaso, o Dr. Augusto Cury – eminente médico psiquiatra, psicoterapeuta, escritor e conferencista; asseverou: “A Psiquiatria trata dos transtornos psíquicos usando antidepressivos e tranqüilizantes, e a Psicologia, usando técnicas psicoterapeutas. Mas elas não resolvem o vazio existencial, não dão respostas aos mistérios da vida. Quando a fé se inicia, a ciência se cala. A fé transcende a lógica.” (extraído do seu livro “Dez Leis para Ser Feliz”). Nada mais verdadeiro e concernente a este contexto, do que este conceito, elaborado por um profundo conhecedor do psiquismo humano, doutorado em Psicanálise e autor da Teoria da Inteligência Multifocal.

E encontramos muitos exemplos dos efeitos realmente positivos e eficazes do culto à prece, naturalmente que quando feita com convicta fé, força de vontade e propósitos superiores, em muitas narrativas evangélicas, como por exemplo: Narram os Atos dos Apóstolos: ”… E, tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos e todos ficaram cheios do Espírito Santo. …” (c.4 : v.31). O que podemos entender como extraordinária força de expressão para designar a eficácia e a força da prece, oriundas da fé vital.  Assim como consta no Evangelho de Tiago: “… e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. …” (c.5 : v.16). E esclarece-nos, ainda, um Espírito Iluminado: “… Os Espíritos hão dito sempre: a forma nada vale, o pensamento é tudo. Ore, pois, cada um segundo suas convicções e da maneira que mais o toque. Um bom pensamento vale mais do que grande número de palavras com as quais nada tenha o coração. …” (do livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, c. XXVIII, item 1).

Dessarte, corroborando esta reflexão, reproduzo os esclarecimentos de um Espírito autodenominado de protetor, quando disse: “… O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres. Repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem por a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar o a que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas.” (do livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, c. XIX; item 12).

Então, por tudo isso, tenhamos a plena convicção dessa realidade e a coloquemos em prática em nossas vidas, para que possamos haurir todos os benefícios de tudo que foi refletido e acima tratado, e não desperdicemos tais oportunidades, em nosso próprio benefício e também dos nossos semelhantes; considerando a suma importância da oração em preces, em sua força equilibrante e seu poder curativo e realizador; o que só depende de nós mesmos, com nossa fé e força de vontade.

Devaldo Teixeira de Araújo

https://blogdoteixeira.com/  #  devaldo@hotlink.com.br

[Autorizada a divulgação desde que respeitadas a integridade e autoria do texto]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s