Vale a pena sonhar e perseverar

       Mais uma vez, valho-me de minhas próprias experiências de vida para refletir e compartilhar dessa vivência, esperando dessa forma contribuir para que possamos meditar com tais realidades por que passamos e, assim, busquemos alcançar nossos objetivos maiores, ainda que relativamente, com o nosso imprescindível esforço e boa vontade, tal como intitulo esta reflexão…

Refiro-me, agora, à ideia de editar um blog (que podemos traduzir livremente como Diário Online) idealizado por meu estimado filho João Ricardo, que não só o idealizou como pôde realizar, tal como vem editando, semanalmente, no intuito de que eu pudesse difundir ideias e conhecimentos adquiridos, com o propósito de um mundo melhor compartilhado, em paz e harmonia; objetivo maior nosso e essencial finalidade deste Blog, como consta em sua página inicial [sobre o Blog].

E logo me vem à memória o passado em que eu escrevia textos sobre vários assuntos, aproveitando um tema, um noticiário ou uma pergunta e os arquivava por algum tempo para depois os perder junto com o sistema computacional que se tornava inoperante com o passar do tempo, como aconteceu mais de uma vez; ou mesmo apagar, depois de algum tempo, por falta de espaço na memória do computador antigo; sem os divulgar… Quando, então, o meu filho questionou-me por que não divulgar e compartilhar com todos, de tais opiniões, ideias, em forma de textos como fazia. O que, na ocasião eu considerava difícil e, por não saber como divulgar ou publicar, algo muito distante… Contudo, o mesmo, perseverante e resoluto como é, idealizou a edição de um blog e logo pondo em prática… E, então, aquilo parecia algo distante, nesta última edição do ano de 2014, pude perceber estar acontecendo: quando o provedor [WordPress.com] incluiu a feliz informação sobre o resultado dos acessos ao Blog durante o referido ano findo [Os números de 2014].

Por isso, o entendimento de que realmente tão importante quanto sonhar e desejar, é procurar efetivar seus propósitos com esforço e boa vontade, sobretudo quando no exercício da interação social, compartilhando com todos os nossos irmãos de jornada e vivenciando realmente o que assegurou o Divino Mestre, no tocante a ‘doação de nós mesmos’, conforme o Evangelho do apóstolo Lucas (Cap. 11; v. 41), que podemos entender como nos esclarece Emmanuel, quando asseverou: “… Dar o que temos é diferente de dar o que detemos. … Não olvidemos, assim, as doações de nossa esfera íntima e perguntemos a nós mesmos: Que temos de nós próprios para dar? Que espécie de emoção estamos comunicando aos outros? Que reações provocamos no próximo? Que distribuímos com os nossos companheiros de luta diária? Qual é o estoque de nossos sentimentos? Que tipo de vibrações espalhamos?é indispensável amealhar em nosso espírito as reservas da boa compreensão, emitindo o tesouro de amizade e entendimento que o Mestre nos confiou em serviço ao bem de quantos nos rodeiam, perto ou longe. …” (do livro Fonte Viva, c. 60 – Chico Xavier).

E creio que o encadeamento desta reflexão, como dito no início do presente texto, também podemos estender a todas as cogitações no aspecto geral – social e profissional, em que igualmente podemos e devemos, sem dúvida, não apenas idealizar ou desejar, mas envidar o esforço possível para sua concretização, com perseverança e firmeza de ânimo, para que possamos lograr êxito em tudo aquilo que nos propomos objetivamente. Até mesmo como parte de nosso aprimoramento que temos a obrigação de desenvolver como seres humanos que somos hoje e espíritos eternos a que volveremos um dia, no desenvolvimento da evolução moral-espiritual a que estamos destinados.

Finalizando esta reflexão, considero oportuno transcrever os esclarecimentos do extraordinário Emmanuel, quando afirmou: “A vida é máquina divina da qual todos os seres são peças importantes, e a cooperação é o fator essencial na produção da harmonia e do bem para todos. … O próprio paralítico, atado ao catre da enfermidade, pode fornecer aos outros a paciência e a calma, em forma de paz e resignação. … Todo dia é ocasião de semear e colher. …” (do livro Fonte Viva, c. 130 – Chico Xavier).

Portanto, semeemos e colhamos, certos de que todos os caminhos são válidos, quando a razão nos leva a Deus.

Devaldo Teixeira de Araújo.

https://blogdoteixeira.com/  #   devaldo@hotlink.com.br

[Autorizada a divulgação desde que respeitadas a integridade e autoria do texto]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s