A Incomensurável e Divina Força do Amor

Lendo e refletindo com os feitos e os ensinamentos dos grandes pensadores da História, que, por isso mesmo, creio serem missionários divinos, em face de suas contribuições para o progresso tecnológico e social, em todas as áreas, e a evolução moral-espiritual da humanidade, em todas as épocas; penso como intitulado, que esta força é realmente o que move o Universo, como muito já se disse, impulsionando-nos às esferas superiores. Porquanto, certamente que todas as criações para o bem da humanidade, há que originarem-se de uma inspiração superior, divina, que transcende ao entendimento superficial do vulgo, em todos os campos que se possa imaginar: das maravilhosas artes que tanto nos enlevam, das avançadas tecnologias que nos ajudam a viver e conviver melhor, e tudo mais, do mais simples ao mais complexo, até as extraordinárias descobertas em todas as áreas do conhecimento humano, como da Ciência, que podemos perceber pelos extraordinários avanços em benefício do progresso da humanidade, de que todos nós temos conhecimento, sem que seja preciso me delongar em exemplos.

E a realidade desta cogitação podemos perceber, principalmente, nos exemplares ensinamentos do Divino Mestre Jesus, quando em sua reveladora missão terrestre de nos soerguer, preconizando o amor em sua essência, há dois mil anos, e prosseguindo em sua missão, por meio da Terceira Revelação – o consolador prometido (João; cap. XIV; vv. 15 a 17 e 26.), com o advento do Espiritismo (1857 – lançamento de “O Livro dos Espíritos”), sob a coordenação e autoria de Allan Kardec e a contribuição dos Espíritos Superiores, tendo à frente o Espírito de Verdade; nos esclarecendo sobre as verdades que não poderiam ser ditas completamente antes, quando a humanidade ainda não tinha condições de compreender, em face das limitações de entendimento, considerando o grau de evolução espiritual coletiva.

Mas, o que desejo enfatizar nesta reflexão é sobre o entendimento que devemos ter, realmente, do amor em sua essencial forma, como fraternidade universal.  Que a sociedade em geral confunde sobretudo com as paixões humanas, principalmente no que se refere à atração e envolvimento de dois seres, conquanto aí também possa consubstanciar-se o amor.  E acredito que seja fácil identificar a grande diferença: o amor é doação, dedicação, entrega de si mesmo a uma causa, algo, alguém, sem instâncias de nenhuma natureza, que, à luz da razão, se consolida com o tempo. Enquanto as paixões eclodem com o mesmo furor com que se esvaem, não raro impensadamente ou irracionalmente.

Da mesma forma como podemos entender a manifestação do amor em todos os feitos grandiosos em benefício da coletividade, com a dedicação, quase sempre, de toda uma vida em busca de uma descoberta em proveito de todos, como sabemos de tantas ocorridas ao longo do tempo, como no campo da Medicina que muito tem ajudado e salvo vidas; assim como nas avançadas tecnologias de que já dispomos em nosso próprio proveito; e tantas outras desde as mais rudimentares de tempos remotos até a evolução a que chegamos contemporaneamente, que não caberia enumerar.  E certamente em todas as motivações para o bem vamos encontrar a inspiração divina, ainda que não a compreendamos devidamente e os próprios estudiosos e descobridores não se dêem conta da grandiosidade de suas missões de que muitos não tiveram sequer o merecido reconhecimento em vida.

E, tenho convicção de que outra não pode ser a inspiração, que não a divina, para todas as criações como das grandes artes, por exemplo, tal qual no campo da música, ao ouvirmos uma maravilhosa sinfonia, que tanto nos encanta, enlevando nossa alma na mais pura emoção; do mesmo modo quando observamos atentamente um belo quadro do estilo de que admiramos e gostamos…

Por tudo isso, que podemos considerar como legítimas expressões do amor; pensei e escrevi certa vez, como aforismo: Na raiz de todos os nossos males encontramos a obscuridade do egoísmo, enquanto em todas as realizações dignificantes encontramos a luz do amor.

Devaldo Teixeira de Araújo.

devaldo@hotlink.com.br

[Autorizada a divulgação desde que respeitadas a integridade e autoria do texto]

Anúncios

Um comentário sobre “A Incomensurável e Divina Força do Amor

  1. Pingback: Aproveitemos as Oportunidades em Nosso Benefício | Blog do Teixeira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s