RESIGNAÇÃO E OBEDIÊNCIA À REALIDADE DAS LEIS DIVINAS

Muitas vezes ao nos encontrarmos em situação difícil, nos defrontamos com a necessidade de colocarmos em prática os ensinamentos do mestre Jesus e desse modo, vivenciarmos as virtudes da resignação e obediência às leis naturais, divinas, de causa e efeito, ação e reação.  Porquanto, se estamos sofrendo de algum modo, ou algum mal, ainda que circunstancialmente, é, com certeza, o efeito de algo causado de nossa própria responsabilidade, tendo como origem nossas atitudes errôneas que originaram tal situação.  Pois, só assim, refletindo, compreendemos o porquê de tudo em nossa volta, do que fazemos e colhemos como necessidade inevitável do resgate de débitos contraídos, nesta ou em vidas anteriores, para usar uma linguagem comum espiritista, ou ainda vivenciando, como diz a sabedoria popular: “aqui se faz, aqui se paga!”

Isso explica, certamente, todas as situações porque passamos, enfrentamos, e nos ajuda a entender, com a necessária resignação, sem cogitarmos de revolta, de nenhum modo; sabendo tais verdades e da nossa responsabilidade, pelo uso do livre arbítrio, para conosco e o Universo.

E, só com a necessária transformação moral, atitudes corretas, poderemos desfrutar da condição plena, como pensei e disse certa feita: da real e verdadeira felicidade, que é a paz de espírito.

Por isso, a importância de buscarmos o entendimento, a compreensão, dos postulados Espíritas, amplamente; como é oportuno lembrar, em parte,  o que disse Lázaro (espírito):  “…… A doutrina de Jesus ensina, em todos os seus pontos, a obediência e a resignação, duas virtudes companheiras da doçura e muito ativas, se bem os homens erradamente as confundam com a negação do sentimento e da vontade. A obediência é o consentimento da razão; a resignação é o consentimento do coração, forças ativas ambas, porquanto carregam o fardo das provações que a revolta insensata deixa cair. O pusilânime não pode ser resignado, do mesmo modo que o orgulhoso e o egoísta não podem ser obedientes. ……” (mensagem completa contida no Cap. IX, item 8, do Evangelho Segundo o Espiritismo).

 

devaldo@hotlink.com.br

[Autorizada a divulgação desde que respeitada a integridade e autoria do texto]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s